Você está aqui : Home > Notícias > Receita e os segredos para uma perfeita...
25/09/2017

Receita e os segredos para uma perfeita canjica caseira

Confira dicas da dona Janete Teixeira Cardozo, 83 anos, cidadã honorária de Balneário Piçarras (SC), cidade sede do Piçarraiá, evento que oferece a Maior Canjica do Brasil

Compartilhe:




Receita e os segredos para uma perfeita canjica caseira
Receita e os segredos para uma perfeita canjica caseira

Festa Junina é repleta de quitutes e uma das estrelas da festa é a canjica. Mas quem degusta e faz o doce garante que há alguns segredos para deixar a produção perfeita. Para decifrar os mistérios desta iguaria típica, procuramos a cidadã honorária de Balneário Piçarras (SC), cidade sede do Piçarraiá, festa em que é produzida a maior Canjica do Brasil, certificada pelo Ranking Brasil com o peso de duas toneladas e 80 quilos. A professora aposentada Janete Teixeira Cardozo, 83 anos, produz a delícia há cerca de 50 anos, distribui no município e arranca o gostinho de quero mais entre todos que provam o doce.

A canjica gigante, que é servida durante o tradicional festejo da comunidade, conta com 200 quilos de milho de canjica branca, 700 litros de leite integral, 600 caixinhas de leite condensado, 250 vidros de leite de coco, 250 pacotes de coco ralado, entre outros ingredientes em quantidades gigantescas. Tudo é colocado em um enorme panelão de ferro que pesa mais de 12 toneladas, confeccionado especialmente para o evento. “Um grande diferencial é a utilização do coco verdadeiro, ralado. E o sabor, é perfeito, fica igual àquele feito em casa”, afirma a Secretária de Turismo de Balneário Piçarras, Susan Correa. Na edição de 2016, foram servidos cerca de cinco mil pratos da iguaria, número que deve ser igualado na edição deste ano.

Mas quem quer uma produção caseira, não precisa nem se preocupar com as enormes quantidades de ingredientes. A cidadã honorária de Balneário Piçarras garante o segredo da melhor canjica do Brasil, além do carinho, está na panela. Na sua casa, ela reserva um recipiente exclusivo para a confecção do doce, pois afirma que a canjica é muito suave e tem uma certa facilidade para absorver odor e sabor de outros ingredientes. “Na panela que se cozinha a canjica, não se cozinha nada salgado”, afirma de maneira enfática.

Experiente, a Vó Janete, como é carinhosamente chamada por todos, conta que aprendeu a base da receita com a sua mãe, mas ao longo dos anos acrescentou alguns ingredientes e passou a elaborar um doce próprio.

Confira a receita para preparar esta delícia para os festejos deste ano:
Canjica da Vó Janete

Piçarraiá -


FONTE: Oficina das Palavras








Comente esta notícia